segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sinal Verde

Estava tirando o carro para levar minha filha Nara de doze anos à escola. Enquanto Nara fechava o portão da garagem, eu fiquei olhando a rua dentro do takimóvel, verificando se havia algum perigo iminente. Aqui em Madureira é assim, temos que ficar sempre espertos senão o moço leva nosso carro sem nem pedir direito.

Nesse momento de a-tensão acabei vendo a Nádia, amiga de infância de Tatiana, minha irmã mais velha. Da mesma forma que eu, Nádia manteve o mesmo CEP desde quando nasceu. Ela sempre foi gordinha. Desde criança. Foi uma adolescente que lutou para diminuir a força da gravidade, às vezes ficava mais magra mas passava um tempo, já estava ela ocupando bastante espaço de novo. Crescemos. Eu pouco, é verdade e Nádia bastante para cima e para os lados. O máximo que fazemos é nos cumprimentarmos quando passamos uma pela outra. Nunca tive intimidade com ela para ir além disso.

Pois bem, hoje a vi levando suas filhas gêmeas de três anos à escola acompanhada do marido que carregava duas mochilas rosas. E pensei: caramba...Nádia nunca emagreceu mesmo pensando bem se ela fosse magra ela não seria a Nádia ou seria? que legal duas filhas iguaizinhas já pensou se Yuki tem um irmão gêmeo a Ta também não mudou nada vou perguntar a ela se está gostando da escola para eu matricular Yuki ano que vem nunca tive intimidade com ela mas que legal duas mochilas rosas o marido tem uma cara boa a família está bonita... as vírgulas são desnecessárias porque nem deu tempo de respirar nessa fração de segundos em que Nara fechava o portão.

Quando Nara entrou no carro e me viu olhando alguma coisa perguntou:

- O que você está olhando, mãe?
- A Nádia, amiga da tia Tata que sempre foi gorda e está levando as filhas gêmeas para escola com o marido.

Engatei a primeira e lá fomos nós!

- Que horror, mãe... Por que ela sempre foi gorda?
- Não faço a menor ideia.
- Por que ela teve gêmeas? Qual o problema dela ser gorda?
- Nenhum.
- Mas você não está aí olhando?
- Estava. Até que você entrou no carro e quis entrar na minha cabeça.
- Puxa, mãe, que horror!
- ???
- Ela só colocou casaco em uma filha!
-Vai ver que a outra não quis colocar, Nara.
- Cruzes, mãe, você virou para mim e disse: olha lá, Nara, a amiga da  tia Tata que é gorda mas é feliz!
- Eu disse isso? Eu nem disse para você olhar nada. Você entrou no carro e me perguntou assim – falei afinando a voz e fazendo cara de retardada - “Mãe, o que você está olhando?” e eu respondi o que estava olhando!!!
- Mas precisava???
- Precisava o que, Nara?
- Nem precisava dizer nada. Você disse: Nara, a amiga da tia Tata sempre foi gorda mas teve gêmeas.
- Mas? Eu não disse mas! Eu disse que a amiga da tia Tata sempre foi gorda e que estava levando as filhas para a escola.
- Mas por que você faria essas duas observações? Que ela sempre foi gorda e tem duas filhas?
- Porque era isso que eu estava olhando.
- Isso foi um insulto para mim, mãe! Um in-sul-to!
- ???
- Você quer me dizer- Nara disse engrossando a voz e levantando o dedo indicador- : “viu, Nara? Você pode continuar assim e ainda ser feliz!”.
- Assim como?
- Gorda, eu estou gorda, mãe, você sabe disso, papai falou!
- Nara, vai fazer terapia!
- Mãe, confessa, mãe. Você acha que ela é feliz só porque tem filhas gêmeas e nem acreditava que isso fosse possível e agora está feliz porque viu que eu posso ser feliz do jeito que eu sou. Por isso está rindo agora.
- Nara, eu nem pensei em você quando olhei a Nádia! E estou rindo de seus devaneios.
- Que horror, mãe!
- Nem posso olhar a Nádia com as duas filhas em paz...
- Mas você só ficou olhando porque ela é gordinha.
- Não, fiquei olhando porque ela estava andando na rua e pensei “Olha a Nádia, amiga da tia Tata que sempre foi gorda e está levando as filhas gêmeas para escola com o marido!”. Simples assim: sem quê nem por quê.
- Você não ia pensar "amiga da tia Tata".
- Nara, isso que dá querer entrar na cabeça dos outros. Os outros não sabem nem por que pensaram isso ou aquilo...
- Mas por que você olhou fixamente, mãe? Eu te conheço...
- Fixamente???
- É, mãe...

Chegamos, enfim-graças-à-Deus, à escola. Observei  a Nara atravessando de forma atrapalhada a Intendente Magalhães e pensei: " Caramba...a Nara atravessa a Intendente toda atrapalhada ela é ainda muito pequenininha nem sabe atravessar a rua Nara vai ficar maluca se continuar assim ligada em tudo que está perto dela será que Yuki já almoçou ainda tenho que fazer unha hoje e acabar de ler livro do Gusdorf o que será que vai acontecer no Prison Break vou matar o Nelson por ter falado que Nara está gorda...". E pensando pensando pensando, rapidinho já estava de volta. Ao apontar o carro para a minha garagem, vi a Nádia voltando de mãos dadas com o marido.

Nádia hein...quem diria!


---------------------------------

Se você gostou desse texto, poderá gostar também de:

Pronto. Virei Sogra!
Pre$ente

25 comentários:

  1. Na condição de gordo ex-gallant, solidarizo-me com a herdeira.

    Bj!

    ResponderExcluir
  2. Paulo,

    Venhamos e convenhamos:

    A vida de uma mulher gorda é muito mais difícil que dos homens.

    As prioridades são bem diferentes, com raras exceções como é o caso do marido da Nádia que deu a maior sorte.

    Ex-gallant? Jamais com toda essa lábia!

    :-)

    beijaço!

    ResponderExcluir
  3. Adorei!

    Muito bom, nem deu tempo de receber os elogios do anterior, hein? Tá com a corda toda.

    E eu não falei que ela está gorda. Eu falei alguma coisa e ela quis entrar na minha cabeça e achou que eu falei que ela estava gorda, foi isso.

    Nara é realmente ligada em tudo, até no que não devia, ou no que não precisaria, ou no que não adiantaria.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nelsu,

    Quis logo colocar outro texto porque não gostei daquele. Como te disse aquele foi só para registrar a nostalgia.

    Esse ganhei de mão beijada da Nara hoje.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Valeu, Deise! Gosto de te ver por aqui!

    ResponderExcluir
  6. Demais, mas a Nara é feliz? Hahahaha! Eu tenho uma amiga gorda que também teve gêmeos, será que tem alguma relação? Ou será a mesma pessoa? Gorda = boa parideira --> Mais alimento, mais bocas para comer --> o óvulo não consegue dar conta de tanta comida --> Faz meiose para se dividir e ter mais uma mórula para se alimentar... Nossa! É muita ciência! Coisa de NERDs como eu!

    Beijos Japa!

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito LK. :D
    takimóvel ? HAUSHAUSHUASHAUH

    daniel (cefet)

    ResponderExcluir
  8. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!! Morri de rir!!!
    Até pude ouvir a vozinha fina da Nara.

    Nara desde NENÉM é superhiperantenada. Nunca vou esquecer aqueles olhos enormes espreitando pelas portas de casa junto com aquele bicho encardido que ela carregava... lembra do bicho?

    Adorei o texto! Mas concordo com a nara, é horrível se dirigir a alguém como "a gorda". Fala aquela q já pesou 75kg...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Todos que conhecem Nara leem esse texto e ouvem a voz fina dela.

    E eu lá tenho culpa se estava pensando que a menina sempre foi assim? Eu ão ia falar nada, mas é essa mania da Nara de querer entrar na nossa cabeça.

    :-)

    ResponderExcluir
  10. Elika,

    É engraçado! Típicamente adolescente! Mas apesar dos pensamentos numa fração de segundos, ainda assim, colocaria umas vírgulas (poucas).

    Beijos, Elise!

    ResponderExcluir
  11. Obrigada, Elise, gosto de sua leitura crítica e atensiosa.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  12. LHC-CP2, nerd???

    Medina? É vc aqui?????

    ResponderExcluir
  13. Pô, Daniel! Takimóvel está na minha boca desde quando eu tinha 18 anos!

    Pensando bem, tem pouquíssimo tempo.

    heheeeeeee

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. A ditadura dos magros. É só isso. Gordo e feliz também é pura imaginação.
    Como você disse e escreveu antes, nós não sabemos quase nada.
    Eu tento , tento e tento fazer com que meus filhos se preocupem com o seu pensamento. Mas eles também são porosos, e tudo os influencia.
    Tudo, até o que não vemos. Pergunto para um e a outra responde. Depois me viro pra ela e continuo a conversa, e o outro se mete no meio e continua. É impossível. É da idade, espero.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. É Djabal,

    A melhor coisa que há na vida é um bom diálogo (mesmo que todo atropelado) com nossos filhos.

    E aqui, o jogo é nao deixá-los "entrar na nossa cabeça", se eles ganharem vão ficar perdidinhos da silva takimoto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. SINAL VERMELHO
    Quantas e quantas vezes, alguém muito próximo de nós (um filho ou companheiro, talvez) pergunta - "Nuquequivocêtápensando?". No meu caso, a resposta é, invavariavelmente, "Nada Não!"(Deusmilivre!)
    Com você é diferente (sua cabeça é um blog aberto?), abre todas as portas e janelas, torneiras e represas pra deixar tudo fluir num texto tão delicioso.
    Obrigado
    Andre Nakamura

    ResponderExcluir
  17. Andre,

    É. Nem sempre dá certo tanta exposição. Mas o saldo tem sido positivo.

    Bom te ver por aqui.

    Não há o que agradecer. Eu me divirto muito com isso aqui.

    ResponderExcluir
  18. Hi Elika,

    I checked out your blog, it is very good work. Congratulations, you seem to manage your time well .
    If you should need anything else, please don't hesitate to ask
    Say hello to Greuza and Cezar for me
    Best wishes to you and your family
    John

    ResponderExcluir
  19. Hi John!

    Thank you!Thank you!Thank you!

    Did you read my blog? What an honor!International readers!

    Surely, I need more books in the future. And since you were so nice, I´ll abusing its goodwill, ok?

    ;-)

    Just kidding.Thank you for your comment.

    Regards

    ResponderExcluir
  20. Eu me identifiquei com o texto. Eu também já tive esses pensamentos... É sempre com alguém do colégio que a gente encontra na rua... Aí vem : "Nossa ela conseguiu casar?" kkkkk
    Muito legal!

    ResponderExcluir
  21. Soraia,

    Mas eu juro que só pensei isso depois!

    :-)

    Beijaço

    ResponderExcluir
  22. Vinicius (da 1d - cefet)6 de abril de 2011 14:12

    Prof. LK,
    sempre que ligo o computador nao resisto (mas tambem nao exito) em entrar, nem que seja bem rapidinho, na pagina do seu blog. Era pra ser uma lidinha rapida em um so post, mas sao textos tao bons e gostosos de ler... nao aguento, leio mais um outro, e outro... e sempre assim. Mesmo quando nao deveria. Por exemplo, agora eu deveria estar estudando pras provas de amanha, mas estou aqui. Nao posso porem passar direto e nao deixar um recado a magnitude de tudo o que voce escreve. Mesmo tendo de estudar nao consigo resistir a vontade de ler, e reler, e denovo, e denovo...e viajar no "Mundo de Elika".
    Parabens pela sua genialidade - isso mesmo, G-E-N-I-A-L-I-D-A-D-E! - por todo seu talento para a escrita (e desenho).
    Beijos do seu aluno/fa
    Vinicius.
    (obs,: Takimovel???hahahaha Morro de rir!!!!!)

    ResponderExcluir
  23. Fala, Vinícius!!!

    Obrigada pelo comentário super carinhoso. Fiquei nas nuvens de tão feliz.

    Adoro quando acerto a cesta.

    Beijos

    ResponderExcluir
  24. O mesmo Vinicius...7 de abril de 2011 16:06

    vc sempre acerta!!!
    rsrs
    bjs

    ResponderExcluir