quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Por que não enfeita?

Vira e mexe eu solto essa pergunta por aí. Para entendê-la e usá-la como eu é preciso saber em que contexto ela foi espontaneamente mencionada pela primeira vez.

Eu devia ter uns doze anos, talvez treze, quem sabe mais?, quando fui visitar uns tios e primos  em Itajubá, terra natal de Dona Ruth, a senhora minha mãe. Vovô e vovó estavam lá firmes e fortes e raro era um final de semana em que não aparecíamos para vê-los. Só de filho parido vovó teve dezesseis sem contar os que foram se chegando trazidos pelos ventos e pelas mãos de um destino que teima em ser bondoso. Todos muito cristãos cresceram e se multiplicaram uns por sete, outros por quatro, nenhum por dois. Tenho mais primos do que sapatos! Essa história é sobre um deles: o Leonardo. Numa dessas viagens até Minas, lá pelos idos de 1980, ouvi minha tia Neusa nervosa de vergonha  contando essa história para mamãe que acabara de chegar.

Meu priminho de cinco anos (na época priminho... hoje: pai de família, dentista cheio de posses e morador  da Bahia) foi visitar uma amiga da minha tia Neusa. A visita foi rápida mas não o suficiente para livrar a tia de uma saia-justa. Leonardo ficou encafifado com três borboletas azuis de plástico  de tamanhos diferentes colocadas diagonalmente na parede ao lado da porta da sala sendo a menor borboleta a última  daquela fila e a maior, a primeira. As senhoras até acharam graça do menino olhando fixamente o adereço.

- Pra quê que serve isso?- perguntou o menino sem tirar os olhos do adorno.

- Para enfeitar, meu filho.- Respondeu minha tia pacientemente. As duas amigas riram da doce curiosidade  da criança.

- Então...por que não enfeita???

De repente, do riso fez-se o pranto, da calma fez-se o vento e do amigo próximo o distante. Minha tia disse que nunca mais teria cara para voltar lá na casa da amiga que sorriu só com a boca após a pergunta infeliz do mal-educado do Leonardo!

Bom, a história foi essa e até hoje quando vejo algo como as borboletas que não conseguem cumprir o seu destino refaço a pergunta desconcertante ou em voz alta ou em pensamento mesmo. Esse post será sempre atualizado a partir de hoje e gostaria de receber contribuições de quem quiser me ajudar nessa empreitada. Para compartilhar os meus momentos “Por que não enfeita?” andei tirando algumas fotos, salvando outras quando via por esse i-mundo e agora as coloco no blog.

Então...por que não enfeita???




Desfile de moda...nunca entendi isso...

Coisa mar linda esse jogo de copos!

POR QUE NÃO ENFEITA???
"Por que não enfeita?" não está ligado à uma classe social. Pessoas de posses são mestres nessa arte.





No mesmo condomínio três (TRÊS!!!) cristos!

Nem se estivesse com a camisa do Flamengo enfeitaria!
"Obra de Arte" na frente da UERJ (2011). Por que??? Por que é arte????

17 comentários:

  1. Poxa, Élika, não sabia que você tinha passado aqui em casa tirar foto da minha privada... hahaha não entendo essas decorações de minha mãe. Por que não enfeita? Adorei :D

    ResponderExcluir
  2. Putz, Victor! Andei tirando foto de um punhado de casa...até de amigos...até da minha... =P

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho a nítida impressão que se todos seus amigos colaborarem, o seu blog será - disparado - o que conterá a maior quantidade de 'posts' de todos. Ficará congestionado e pesado, de tantas fotos, fatos, músicas,imagens e até pensamentos.
    Somos atacados por tanta bizarrice, que acabamos por nos tornar a maior delas todas. Feliz ano novo. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. é... senso estético não é pra qualquer um mesmo... rsrsrs
    adorei seu post! qdo achar algo por aí, envio minha contribuição pra vc ;-)

    ResponderExcluir
  5. Já disse noutras vezes que você é uma memorialista de primeira. Zélia deve ter orgulho disso. bjoca.

    ResponderExcluir
  6. Djabal,

    Esse post está meio que manchado de cinza. Meio politicamente incorreto. Meio bizarro mesmo. Porém, "Minha vida é um blog aberto" é para eu dar a cara a tapa. E o ano começou pra mim. :-)

    Feliz ano novo para vc e todos os meus outros 5 fiéis leitores!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Erika! Que surpresa! Aguardo contribuições! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Paulo Paulo Paulo...

    Já te disse, repito e tripito: Sem vc...eu não me divertiria tanto aqui. Vc foi e continua sendo o meu maior incentivador nessa empreitada.

    Comparar-me com Ela, a Maior, a Minha Predileta...ganhei meu ano!

    Beijos beijos beijos

    ResponderExcluir
  9. rsrsrs Vou ver se aqui em casa tem alguma coisa que é para enfeitar, mas não enfeita. Aí te envio!


    Feliz 2011!!!

    Bjão

    ResponderExcluir
  10. Não sei porque lembrei da mãe e tia do Luí.
    Li

    ResponderExcluir
  11. hehehehe
    O melhor foram as casas daquele condominio de Angra... sao mtttttt bregas!!!! A casa Afrodite é a melhor (le-se pior).

    ResponderExcluir
  12. Ah, eu gosto das privadas com borboletinhas mortas...
    Me lembra a nossa privada de infância!

    ResponderExcluir
  13. É, me lembra tb, Lyli, mas o negócio é feio de doer...mania desse povo colocar borboleta morta em tampa de vaso sanitário...vai entender...

    ResponderExcluir
  14. Estava passeando por um outro blog, hoje, quando me deparei com um texto que em muito me lembrou essa publicação aqui. Dá uma olhada, Elika:

    "Matheus, 10 anos, um pouco mais cedo:

    "Por que você está passando esse negócio preto no olho?"

    Eu: "Pra ficar bonita, oras"

    "Mas então por que você não fica?""

    fonte: http://descontrol.blogspot.com/2009/09/eu-fico-com-beleza-da-resposta-das.html

    ResponderExcluir
  15. Valeu, Robledo!

    Vou lá conferir!


    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Voltei para uma releitura, e adorei o "sorriu só com a bôca". Imaginei a cena do sorriso sem graça, bela descrição.

    bjs

    Mazinho

    ResponderExcluir
  17. Maza,

    Adorei sua re-visita!

    Coloquei a foto da UERJ conforme sua sugestão.

    Bjs

    ResponderExcluir